Conteúdo

TEMAS:

ARRANJOS DE PAGAMENTO

A evolução tecnológica transforma os meios de pagamento. Quais as soluções encontradas pelo mercado de capitais para intermediar investidores e captadores de recursos? Quais as particularidades das operações estruturadas e os negócios atendidos neste cenário? Como as tendências de desmaterialização da documentação e de intensificação do processamento de dados impactam o risco de investimento e a capacitação demandada nestas operações?

FINTECHS

Quais são as novas possibilidades de geração de valor fundamentada no uso de tecnologia que têm sido mais buscadas? Quais são os casos indicativos de um novo modelo diferenciado de negócios e por quê? Como avaliar a sustentabilidade das novas empresas? Qual é presente e o futuro do marco regulatório aplicável? Qual é a dependência das fintechs em relação às instituições financeiras tradicionais?

INFRAESTRUTURA

Como dinamizar o papel do mercado de capitais como viabilizador do financiamento em infraestrutura? Qual papel oferece o banco de desenvolvimento em um novo cenário no qual o mercado de capitais passa a ser o principal agente financiador? Como a securitização pode viabilizar as operações de captação de recursos de concessionárias de serviços públicos? Quais são os limites e necessidades das operações de securitização para o setor? Como atrair o investidor institucional e o investidor estrangeiro para este mercado?

IMOBILIÁRIO

Quais são as amarras ainda presentes na estrutura do mercado de crédito imobiliário que impossibilitam que este seja financiado via mercado de securitização (CRI)? Qual é o papel da caderneta de poupança? Quais seriam atuações possíveis do governo para dinamizar o financiamento imobiliário via mercado de capitais? Qual a capacidade das LIG de produzir um salto qualitativo e dimensional neste mercado?

PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

Qual o potencial deste mercado? Como realizar o potencial pleno de uma operação de FIDC que vai além de vantagens comparativas fiscais? Qual deve ser o papel e quais devem ser as responsabilidades normativas do gestor/consultor nestes fundos? Como a tecnologia está impactando este segmento.

AGRONEGÓCIO

Quais são as formas mais efetivas do mercado de capitais para atender a demanda crescente do Agronegócio? Qual o papel da securitização neste processo? Como se mitigar risco de forma mais eficiente em operações de financiamento de produtores rurais? Qual o perfil do investidor chave neste mercado? Qual a importância dos CRAbêntures?

ATIVOS ALTERNATIVOS

Quais são as oportunidades e qual é a importância do mercado de NPL no Brasil? Qual é o grau de desenvolvimento já atingido neste segmento? Como os FIDC podem ajudar o desenvolvimento do mercado de NPL? Até que ponto os ativos de crédito no Brasil ainda são avaliados de forma binária? Qual é a qualidade da precificação do mercado de precatórios? Qual o potencial uso do FIDC para este tipo de investimento? Faz sentido dívida ativa ser incluída na categoria de Ativos Alternativos?

INVESTIDORES

Institucionais: Quais os fatores limitadores da participação deste tipo de investidores? Como aumentá-la visando elevar o poder financiador destes mercados? Qual o racional para a manutenção dos incentivos fiscais para o investidor pessoa física? Quais as tendências de alocação de investimentos do investidor institucional entre classes de ativos? Qual a capacidade de liquidez destes mercados para atrair investidores de maior monta?

Estrangeiros: Por que este tipo de investidor ainda não se sente atraído, ou confortável, com o mercado brasileiro? O que falta na prática efetiva dos mercados nacionais de securitização? Há diferenças relevantes neste sentido entre os segmentos de FIDC, CRI e CRA? O mercado de LIG oferece potencial de atratividade para o investidor estrangeiro?